Atolamento de papel

Normalmente temos sujeira nos roletes de tração(limpar com álcool isopropílico),porém o próprio papel pode não ser adequado ou estar úmido. Além disso, se o papel parar, logo após ser tracionado pelo “Pick-up Roller”(rolete de tração e carga), antes de chegar ao cilindro, o defeito estará nessa peça, que deve ser trocada.

Nas analógicas, como a sharp 1641 ou 1645, o problema pode estar no sensor de registro de entrada do papel, pois o mesmo chega em momento errado e aciona a alavanca, ocasionando travamento do mecanismo e abortagem da impressão.

Complexo é quando o atolamento ocorre na entrada  do fusor porque pode ser a embreagem de partida do papel com sujeira; buchas do fusor gastas; buchas do rolo pressor gastas, colares gastos ou quebrados e até a engrenagem acopladora do fusor com dentes gastos ou partidos (neste caso, a máquina fica barulhenta, estala).

Se o atolamento de papel ocorrer na saída do fusor,percebemos que a folha para,  pouco depois de passar pela alavanca de acionamento do sensor de registro de saída do papel, que pode estar obstruída ou quebrada( neste caso, o papel apresentará dobras, vincos e tomará forma de uma sanfona.

Bandeja de papel

Nas copiadoras mais antigas, quando se insere a bandeja na máquina, a chapa de metal deve se elevar; caso isto não aconteça, verifique o mecanismo de elevação do papel: a parte plana da bandeja deve exercer pressão no papel que está de encontro com o Pick-up roller ou engrenagens de tração do papel.  Como o mecanismo de pescagem do papel está ligado ao motor principal, o  técnico deve verificar se ele está funcionando.

Espaçadores  do PCR no cartucho de toner

São de plástico e fazem a separação dos dois rolos: OPC e MR, ou seja, cilindro e rolo magnético(magnetic roller), forçando o pulo de uma partícula de toner de uma superfície para outra. O rolo magnético disponibiliza o pó de toner para o cilindro, pegando o mesmo do reservatório e a lâmina dosadora (doctor blade) dosa essa quantidade de pó que o magnético manda para o cilindro. Cuidado! Se os espaçadores estiverem com defeito, originam vazamentos, principalmente quando sujos ou danificados (presos por parafusos espanados) e esse vazamento irá se acumular nas bordas do cilindro, fazendo um sulco no mesmo. Teremos um OPC com o substrato de alumínio aparecendo  como se fosse um anel na ponta do cilindro.

São fundamentais para manter o paralelismo entre o cilindro e o rolo magnético

Chips: manuseio

A eletricidade estática, como vimos em artigo anterior detalhadamente, poderá queimá-lo ao simples toque dos dedos, logo a melhor saída é usar pulseira antiestática e pegá-los pelas bordas.  A maioria dos chips opera com alimentação de 2,5 a 3,0 v e os bits podem variar cem milhões de vezes por segundo, ora como zero, ora como um. Cada mícron equivale a um milésimo de milímetro.

Não se deve tocar no chip, pois a eletricidade estática pode queimá-lo; portanto segure-o pelas bordas e não force o encaixe.

Cilindro

Todo cilindro tem uma vida útil, pois sua camada de carga tem 0,2 mícrons de espessura e sofre inúmeros desgastes.  Como vimos em artigo sobre” o cilindro e seu desgaste”, essa vida  pode ser prolongada (um pouco) com alguns artifícios. Existem dois testes que permitem condenar o cilindro: nas cópias 100% pretas (tampa da máquina aberta) aparecem manchas brancas ou nas cópias 100% brancas, aparecem manchas pretas.

Cooler

Se o plug do exaustor ou cooler estiver desligado, haverá uma nuvem de pó de toner no interior da máquina, o que sujará espelhos, laser, lentes, conjunto ótico, impedindo a transferência de imagem com a qualidade esperada.

Os ventiladores, ou exaustores, ou coolers são fundamentais para manterem uma temperatura adequada ao funcionamento dos componentes eletrônicos

Cópias claras em copiadoras analógicas

Primeiramente verificar se o cartucho contem o pó, se está tonalizando, através do mecanismo agitador. Verificar a qualidade do cilindro, tempo de uso, desgaste; em seguida observar o vidro de exposição, depois os espelhos do laser( neste caso com a copiadora desligada).  Verificar a tela junto ao cilindro( corotron) sem manchas ou toner incrustrado, depois observar se o fio de corona não está arrebentado.

Este eixo pertence ao cartucho de uma sharp e é responsável por agitar o toner, facilitando o movimento e a mistura  do mesmo até chegar ao cilindro

Cópia com falhas nas letras

Falta coordenação no conjunto tracionador da copiadora e poderá ser: sujeira nos rolos de registro e/ou fusor(pressor), engrenagem quebrada, solenoide obstruído por sujeira, obstáculo no percurso do papel.  Importante é observar que se houver um “vão” entre a parte superior e a inferior da linha escrita (copiada) significa que o papel avançou mais do que deveria.  Se houver sobreposição, indica que a folha parou antes de atingir o cilindro, portanto avançou menos do que deveria.

Cópia sem imagem nas impressoras a laser

Ocorrendo preto total, o problema está no PCR que é o apagador eletrônico. Ele está sem contato, daí sem imagem.  Caso haja branco total, o problema está no rolo magnético com ausência de carga, logo sem imagem.  É preciso compreender que o cilindro é o terra, que descarrega a energia que vem do rolo magnético ou do PCR (rolo de transferência), equivalente ao fio de corona nas máquinas mais antigas. No caso do PCR com problemas, deve-se limpá-lo com álcool isopropílico ou com uma borracha escolar macia.

Este é o PCR ou apagador eletrônico do cilindro, deve ser limpo com pano seco, antes de ser montado sobre os mancais na unidade de reservatório, junto à lâmina de limpeza da HP 1120

Corotron ou tela

A copiadora que tem essa peça poderá apresentar uma faixa clara de mais ou menos 2 cm fora a fora na vertical (dica).  A solução é a seguinte: desmontar o cartucho do cilindro, limpar com pincel e ar comprimido inclusive a calha que fornece alta voltagem para carregar e descarregar o cilindro, retirar incrustrações da tela,pois não pode haver pó de toner agarrado nela.

Esta tela é responsável pela alta tensão com que o cilindro em algumas copiadoras é carregado eletricamente.

Defeito vertical

Aparecendo um risco preto vertical na folha poderá ser a lâmina dosadora ou a de limpeza com defeito, também poderá ocorrer do cilindro estar riscado, podendo também ocorrer por deformação no rolo de transferência (superfície do rolo de descarga estragada)

Faixa vertical clara

Conforme o uso, a lâmina dosadora vai perdendo a elasticidade: quanto mais usada, maior a perda; estando endurecida em qualquer parte do seu comprimento, aparece o defeito acima, logo deve ser substituída.

Falta de toner estando o cartucho cheio

Nas copiadoras analógicas isto pode ocorrer quando há pouco revelador, quando as engrenagens que movimentam o toner estão travadas, quando o sensor de toner está com problemas, quando a engrenagem ou o plástico interno que movimenta o cartucho está solto, quando ocorre vazamento de revelador ou de toner e ainda quando a engrenagem que movimenta o motor na carenagem da máquina está quebrada.

Fusor pesado

Ainda nas copiadoras antigas, um fusor deve produzir aproximadamente 40.000 cópias, a engrenagem que mais apresenta problema é a pequena, que fica no driver da máquina; quando há ruído, deve ser trocada.  Trocam-se também a engrenagem do rolo fusor, as buchas, os colares e, se necessário, o rolo pressor.

Imagem distorcida

Às vezes, a conexão dos cabos do laser é pobre ( falha,solta,ver flats), ou a conexão dos cabos da placa está defeituosa, ou ainda, há problemas nos espelhos poligonais do laser, incluindo sujeira

Impressão clara na HP

Inicialmente cilindro excedeu sua vida útil, além disso, rolo magnético sujo ou defeituoso (muitas estrias) e até as buchas do rolo magnético gastas, demasiadamente frouxas, fora do encaixe.

Lâminas e problemas

Deve-se evitar tocar a lâmina de limpeza acima, além disso é preciso muita atenção ao limpá-la com pano leve e seco, mais álcool isopropílico, sua constituição é muito delicada.

A lâmina dosadora (doctor blade) é de borracha de silicone, é de poliuretano ou estireno-butadieno; qualquer imperfeição nesta delicada peça causará defeito de impressão; sujando, borrando ou manchando a cópia. Ela não pode empenar, entortar, apresentar corte ou rugosidade.  A mesma composição e a mesma delicadeza caracterizam a lâmina de limpeza (Wiper blade) com uma agravante, pois a lâmina de limpeza deve ser resiliente ( após esforço, ter a capacidade de voltar à sua condição natural). A vida útil das lâminas, principalmente a de limpeza, pode ser melhorada com o uso de pó lubrificante (estearato de zinco ,cálcio ou nylon) ou ainda fluoreto de grafite, que tem a vantagem de ser condutivo.   Lâminas devem ser inspecionadas com lupas.

Esta é a lâmina niveladora ou dosadora que junto ao rolo magnético regula a passagem do toner para  o cilindro.

A cor meio amarelada das lâminas não indica defeito: são apenas manchas provocadas pelo toner e seus aditivos; também amarelam pela ação do ozônio, desde que não percam a resiliência.

Lixeira lotada

Quando a copiadora é mais antiga, não podemos deixar o compartimento de recolhimento de toner usado (lixeira) cheio, uma vez que pode causar travamento, quebra de engrenagens , além de sujar toda a máquina.

Marcas equidistantes na folha

cilindro com picote ou riscado, portanto com defeito.

Marcas de pneu

Cilindro gasto: estas marcas aparecem no sentido vertical da folha e, geralmente, na borda direita ou esquerda da página, indicando que o cilindro está gasto.

Metade da página é impressa

A outra metade fica em branco. Neste caso a mola do cartucho do lado que está branco não está na posição correta. A cada recarga ou remanufatura, devemos esticar essas molas externas.  Pode ser também o pino do cartucho do lado que está branco, instalado fora da posição recomendada.

Há duas molas que mantêm a pressão entre as duas partes do cartucho: unidade de revelação e unidade de limpeza; devem ser esticadas antes da montagem e instaladas corretamente

Papel amassando na saída da máquina

Quando um fusor amassa as folhas, geralmente é devido ao rolo de pressão, que pode estar em mau estado ou fora das especificações do modelo; ou gasto, ou ainda cortado, principalmente se a bucha estiver gasta.  Folhas com alto teor de  umidade podem ficar abauladas e até atolar.  Recomendamos uma estufa para aquecimento e consequente retirada da umidade do papel por evaporação.

Placa com defeito

Ao desmontar, devemos observar o seguinte: área da solda do componente queimada, circuito integrado chamuscado, capacitores vazando óleo, capacitores estufados na tampa, solda solta com componente balançando, solda chamuscada ou oxidada, cabos mal conectados, crosta de toner sobre a placa, fusíveis queimados, trilhas rompidas  por curto ou arranhões. Cuidado: quando se suspeita de um componente, deve-se medi-lo a partir da solda, ou seja, virando a placa. O aparelho usado na medição é o multímetro.

PCR com falhas

Ocasiona fundo cinza e imagem repetida.  Em algumas máquinas é substituído pelo  fio de corona.  Um PCR defeituoso não limpará a imagem do OPC, daí um aparecimento de fantasma na cópia, ou repetição da imagem anteriormente gerada.

Rolo magnético com problema

O encaixe do rolo magnético mantém o contato elétrico. Neste caso, o ímã deve ficar fixo nesse contato, pois o rolo é que se movimenta captando toner do reservatório. Não pode haver descuido na montagem, pois a imagem poderá sair distorcida: clara de um lado e escura do outro. Não devemos forçar o encaixe,  pois  poderá acontecer a perda do paralelismo entre o OPC e o Magnetic Roler.

Para disponibilizar toner para a revelação da imagem latente, o rolo magnético funciona como uma válvula dosadora, que regula a vazão de pó de toner, através de um limitador, que é a Doctor blade ou lâmina niveladora (dosadora).  Assim considerando-se uma perda de 4% por recarga, o rolo magnético desgasta-se e deve ser substituído, pois passa a alterar a densidade da imagem, que perde em qualidade de cópia.

Um rolo magnético oxidado deve ser trocado; se estiver desgastado ou sujo, irá disponibilizar menos pó para o cilindro, logo poderemos ter linhas horizontais claras na cópia.

Podemos perceber que um rolo magnético riscado não possibilitará boa qualidade de cópia

Sensor de papel e seu funcionamento (fusor)

Nas copiadoras analógicas, para detectar o fluxo ou movimento de papel, há uma chave ótica ou mecânica, acionada por uma pequena alavanca plástica.  Na condição normal, a alavanca fica para baixo, através de uma abertura no caminho do papel, quando não há papel passando por esse trecho. Quando o papel atinge a alavanca, esta é levantada, entrando na chave ótica, que por sua vez aciona o circuito na placa lógica, indicando que o papel está presente e iniciando um temporizador. Se tudo ocorrer normalmente, o papel será levado até deixar o conjunto fusor. A alavanca cairá novamente, desacionando a chave e interrompendo o temporizador, que informará à placa lógica o tempo decorrido.  Se o tempo for maior que o previsto, a impressão parará e será indicada a condição de atolamento:” paper jam”.

Termostato (fusão)

Quando o toner não se funde na folha, o problema está no termostato, que não atingiu a temperatura ideal para a fusão. Geralmente deve ser substituído, quando não consegue chegar à temperatura indicada no manual técnico da copiadora ou impressora.

Vazamento de toner

Pode vazar pelo reservatório de toner(buchas gastas), pode vazar porque o revelador está vencido(máquinas mais antigas), pode vazar pela lixeira (depósito de lixo), pode vazar pelas lâminas gastas, e até por peças e parafusos soltos.

As consequências são graves,vejamos: suja toda a impressora por dentro, podendo prejudicar as próprias lâminas e o cilindro; se o pó de toner ficar incrustado  nas engrenagens, poderá dificultar o trabalho das mesmas, forçando-as e até quebrando seus dentes de engate.  O vazamento é também prejudicial para as partes elétricas (termistores,termostatos,terminais de lâmpada,etc)   Um termistor sujo pode indicar temperatura errada, impedindo o funcionamento da impressora.

Se o vazamento for em excesso pode causar uma crosta no rolo fusor(unhas), pode se alojar sobre as placas, ocasionando curtos; o toner acumulado nas unhas pode provocar atolamento de papel; se estiver acumulado nos roletes de transferência, além de acelerar o desgaste dos mesmos, pode prejudicar o funcionamento em geral.   É fundamental combater vazamentos.